Mãe se apavora com foto do filho em viatura, mas motivo da carona emociona

Joseane Amâncio Barbosa, de 34 anos, levou um baita susto ao ver seu filho em uma viatura da polícia militar.

Porém, compensou com a gratidão que sentiu ao entender o acontecido. Seu filho Matheus, estudante de 13 anos, ganhou uma carona dos policiais após ser ignorado por um motorista de ônibus em Guarujá, São Paulo.

O garoto estava sozinho em um ponto de ônibus no bairro Cachoeira, aguardando um transporte para ir ao treino de futsal, na última quinta-feira (6). Matheus fez sinal, mas o motorista não parou para o estudante.

“Eu e meu colega estávamos retornando de uma ocorrência no bairro e nossa viatura seguia logo atrás do ônibus. Vimos tudo. Ele estava sozinho, pediu parada, e o motorista seguiu.

Decidimos parar para ver com o menino o que, de fato, tinha acontecido.”, relatou o policial militar Joel Bastista Ramos, cabo Ramos, de 31 anos.

Aos policiais, Matheus contou que estava ali para ir para o bairro Astúrias, onde fica a escola de futsal em que o jovem é bolsista.

A viagem dura aproximadamente 1h, e, ao perder o ônibus, o garoto teria que voltar para casa, pois não daria mais tempo de esperar o próximo.

“Seguíamos em patrulhamento para a mesma região, então nós decidimos levá-lo até o campinho para ele não perder o treino”, completou o cabo Ramos.

No caminho até a escola de futsal, o policial compartilhou uma foto, em que o estudante parece no banco de trás da viatura, em uma rede social. A postagem viralizou e não demorou muito a chegar à mãe do menino. “Quando eu vi, levei um grande susto. Não entendi nada, mas me acalmei ao ler a legenda da imagem”, comenta Joseane.

Matheus disse em entrevista ao G1 que também não entendeu muito bem quando viu a viatura parando no ponto de ônibus. “Eles me perguntaram e eu disse para onde eu estava indo. Daí, eles falaram que poderiam me levar. Eu aceitei. Quero ser jogador de futebol, sim, mas agora já pensei em ser policial”.

Cabo Ramos disse estar surpreso com a repercussão da carona e afirmou ter sido uma injustiça o motorista não ter parado para menino, seja lá qual tenha sido o motivo.

Por meio de nota, a prefeitura de Guarujá declarou que a Secretaria de Defesa e Convivência Social, a quem a Diretoria de Trânsito e Transporte é subordinada, só pode pedir explicações à concessionária de transporte público em caso de denúncia. Como não havia um registro até este sábado (8), a empresa não foi notificada.

COMENTÁRIOS
Carregando...